Gatos Abandonados

[gatinhos abandonados - cuidados a ter]

 [recolher um gato vadio]

[adoptar um gato de uma associação]

[check up geral de saúde]

 

 

(filhota da Flora, nascida a 01/Maio/04)

Abandonar um animal doméstico à sua sorte è condená-lo a uma morte horrível.

 


 

Gatinhos Abandonados

Resolvi escrever esta parte depois de ter recebido um e-mail em especial. Alguém tinha recolhido alguns gatinhos recém-nascidos que tinham sido abandonados, e não sabia bem que tipo de cuidados ter com eles. Aqui fica a lista de cuidados essenciais a ter com gatinhos encontrados nessa situação.

As primeiras semanas vão determinar o que será a saúde do gato no resto da vida dele, por isso nesta altura ele deve ter muito cuidado com a sua alimentação. Quando nascem, os gatinhos ainda têm os ossos flexíveis e em fase de formação, e o leite da mamã gata é muito importante para eles, sendo, aliás, a única fonte de alimento. Tal como nos seres humanos, o primeiro leite chama-se colostro e leva uma grande dose de anticorpos que, faltando ao gatinho, o vão tornar muito mais sensível às doenças. 

Os gatinhos recém-nascidos não conseguem comer alimentos sólidos, e por isso têm de ser amamentados. Para isto, pode usar equipamento especial que há à venda nas clínicas veterinárias e nas lojas de animais. Dirija-se a uma e explique-lhes a situação, eles podem dar-lhe alguns conselhos extra de como tratar os gatinhos.

O leite que normalmente compramos para beber não é  indicado para gatinhos recém-nascidos, nem para gatos normais. Este leite é muito forte para o seu organismo. Tem lactose, e conforme crescem os gatinhos vão desenvolvendo cada vez mais intolerância à lactose, como as pessoas que não podem beber leite. No caso dos gatos isto é regra, não é excepção.

Há grandes embalagens de leite em pó especial para gatos órfãos, à venda nos veterinários, por um preço razoável, e que permitem fazer uma grande quantidade de leite. Se não puder ir ao veterinário nas primeiras horas depois de encontrar os gatinhos, pode excepcionalmente dar-lhes leite para gato, do que há à venda nos hipermercados, diluído 1:2, mas tente arranjar o leite para gatos recém-nascidos o mais depressa possível, fica-lhe mais barato a si e faz melhor ao gato. Exemplos de marcas: Ormilak e Royal Canin. Já trazem um biberão e uma tetina dentro da lata, e uma tabela de doses para cada idade.

Dê-lho aquecido, mas não o leve ao micro-ondas para não se degradar: aqueça uma chávena de água e ponha o biberão lá dentro até o leite estar morno. Os gatinhos mamam instintivamente quando em contacto com a tetina, tenha um bocadinho de paciência até eles (e você) apanharem o jeito.

 

As gatas têm muito cuidado com a limpeza dos gatinhos. Quando eles nascem, comem a placenta que os envolve, e a seguir lambem-nos cuidadosamente para os secar. Quando os gatinhos são abandonados, podem ainda vir enrolados na placenta ou com manchas de sangue e outro líquido (este líquido chama-se líquido amniótico e é o que envolve os gatinhos na barriga da mãe).

Limpe e seque rapidamente  os gatinhos com um pano de flanela, ou com algum tecido que os os aqueça, utilizando luvas. Evite o mais possível tocar na placenta com as mãos, ou se tiver que o fazer lave-as logo que possível. Tenha cuidado ao manusear os gatinhos, porque eles são muito frágeis. Verifique se têm o nariz limpo, e se não há líquido lá dentro - se houver, um aspirador para o nariz como o usado nos bebés pode ajudar (vende-se nas farmácias) ou um conta gotas como aspirador. Verifique também se eles não têm líquido ou muco na garganta. 

Durante as primeiras semanas, os gatinhos não sabem utilizar a areia e são as gatas que os limpam, lambendo directamente os excrementos do gatinho (blargh! :P). Se não tiver em casa nenhum gato ou gata que tenha adoptado os gatinhos e que faça isso, tem de os limpar todos os dias, mudando o pano da cesta onde estão e limpando a zona do ânus dos gatinhos com algodão ou papel higiénico. Tente não os molhar muito porque isso pode fazer com que se constipem. Preste atenção a barrigas inchadas e dificuldade em fazer cocó. Os gatinhos miam (berram) quando estão a aprender a fazê-lo, nas primeiras vezes, não se assuste com isso. 

Os gatinhos normalmente podem ser mantidos limpinhos se os puser a fazer xixi sempre antes e depois de lhes dar o biberão.

Alguns gatos e gatas muito mansos (e por vezes cães) adoptam imediatamente os gatinhos bebés e tratam da sua limpeza, mas convém ter cuidado - estes animais também podem tornar-se muito possessivos e não querer que ninguém toque nos bebés.

 

Coloque-os numa cesta de onde não possam trepar - alguns gatinhos já conseguem arrastar-se, mal nascem. Coloque também uma fonte de calor por perto - um saco de água quente é uma boa ideia, mas tem de ser mudado frequentemente, porque não pode estar muito quente ou pode queimar os gatinhos. Não ponha o saco de água quente em contacto directo com os gatinhos - envolva-o num cobertor ou pano de flanela e coloque-o por baixo dos gatinhos, verificando que não os queima. Assim, o calor do saco dura mais e os gatinhos não correm o risco de serem queimados.

Se estiverem contipados não os ponha em contacto directo com a fonte de calor porque isso faz aumentar a inflamação! Ponha o saco de água quente envolvido por um pano e os gatinhos ao lado, NUNCA em cima.

Proteja-os de correntes de ar. Um gatinho pode morrer com uma constipação, ou pode ficar com danos nos pulmões para o resto da vida. Se algum dos gatinhos que encontrou tiver os olhos a lacrimejar - se chorar de algum olho, ou tiver muitas ramelas - ligue para o veterinário e pergunte-lhe o que fazer. O veterinário pode-lhe dizer para esperar e ver se passa, ou receitar-lhe algumas gotas para os olhos dos gatinhos (nem todas as gotas que são receitadas para seres humanos são indicadas para gatinhos!). Pergunte também se pode passar lá para as buscar ou se precisa de levar os gatinhos - nesta fase, quanto menos correntes de ar eles apanharem, melhor.

ver também: Doenças mais frequentes em gatinhos para alguns tratamentos que pode fazer em casa. 


O mais comum em gatinhos bebés são as pulgas que apanharam da mãe gata. Também podem ter carraças, piolhos, sarna, tinha, parasitas intestinais, etc. Para todos estes parasitas há um tratamento normalíssimo, e que para gatinhos muito pequenos se faz geralmente levando-o ao veterinário que lhe dará um comprimido ou lhe passará um spray e o mandará para casa.

Os gatinhos só são susceptíveis a parasitas internos (p/ex. lombrigas) a partir da 3ª semana de idade, quando se lhes pode dar um remédio qualquer para desparasitação que se compra nas lojas de animais ou farmácias. 

Para pulgas, o mais saudável é tirá-las uma a uma. NÃO DÊ BANHO AOS GATINHOS!

Os gatinhos desmamam a partir de 1 mês de idade, dependendo da ninhada em que nasceram, das condições da mamã gata e da disponibilidade de comida sólida. Quando os gatinhos começam a brincar uns com os outros, com a gata ou consigo, tentando morder, já pode iniciá-los na comida sólida, mesmo que tenham menos de um mês. Gatos em ninhadas grandes são os primeiros a começar a procurar outra comida para além do leite. 

Utilize pequenos bocadinhos de carne crua ou faça um puré com carne picada e legumes, ou use comida enlatada para bebés humanos, para os fazer gostar de comida sólida. Não lhes dê peixe ou carne que não tenha a certeza de estarem completamente limpos de ossos e espinhas. E claro que eles preferem sempre o leite, a princípio. Aproveite quando eles tiverem com fome para lhes apresentar a comida sólida.

 

 

Recolher um Gato Vadio

Se por acaso na sua zona apareceu algum gato vadio, escanzelado e desesperado por comida, provavelmente é o resultado de um abandono: alguns vizinhos foram de férias ou mudaram de casa e deixaram o bicho para trás. Os gatos habituados a andar na rua não costumam ter um aspecto muito mau, porque já aprenderam a sobreviver.

Se o gato tiver sido abandonado recentemente, é fácil de cativar. O mais provável é que seja ele a insistir para que o deixe ficar em sua casa, e para o convencer pode fazer coisas como: passar uma noite inteira a miar à sua porta, entrar por uma janela e roubar-lhe comida, etc.

Depende de si decidir se o vai recolher ou apenas alimentar. Pode habituá-lo a ir sempre ao seu quintal ou à sua porta, onde terá sempre comida e água disponível. Neste caso o gato vai acabar por se tornar um gato vadio, provavelmente brigão, e vai impedi-lo de dormir descansado quando andar envolvido em lutas territoriais com outros gatos, além de lhe urinar o quintal. Por outro lado, não vai estar dentro de sua casa e isso implica deixar de se preocupar em educá-lo, comprar areia para gatos, etc. Se for uma gata, ela vai acabar por ficar cheia (grávida, prenhe, etc.) e vai querer ter os gatinhos dentro de sua casa, ou então vai tê-los longe e trazê-los para sua casa quando estiverem maiores, selvagens e bastante agressivos.

Se optar por recolher o gato para dentro de casa e tratá-lo, o gato pode vir a durar muito mais tempo, mas aí vai ter de o vigiar e ver se ele não traz maus hábitos. É claro que os maus hábitos podem só se revelar ao fim de algum tempo - lá porque um gato roubou comida no primeiro dia que está em sua casa, não quer dizer que ele o volte a fazer frequentemente, mas apenas que ainda não sabe bem quais os limites que pode passar na nova casa. Estes hábitos podem ser corrigidos. Vá-o apresentando às divisões da casa uma de cada vez.

Verifique também a saúde do gato (feridas, urina ou fezes com sangue ou pus, dores quando se lhe toca em alguma parte do corpo, espirros, olhos lacrimejantes), o seu nível de hidratação (a pele levanta-se facilmente ou está colada ao corpo? pele colada ao corpo e que fica rígida quando se tenta levantar um pouco indica desidratação) e nutrição. Dê-lhe comida fácil de digerir -  carne crua picada com um pouco de óleo de peixe por cima, por exemplo. Se o gato vier muito magro, não lhe dê grandes doses de comida logo a princípio, deixe o seu estômago ir-se habituando devagar. Adicione vitaminas líquidas à comida (compre na farmácia).

 

Adoptar um gato de uma associação

Os cuidados a ter são basicamente os mesmos que os descritos antes. Dicas úteis:

- Guarde sempre o contacto da associação, nunca se sabe se um dia não quer perguntar alguma coisa em relação ao seu gato, principalmente se ele nasceu lá e a sua mamã e resto dos irmãos ainda ficam na associação;

- Informe-se em que condições é que o gato foi lá parar porque isso pode ajudar a despistar algum problema de saúde ou de personalidade que ele venha a ter; por exemplo se souber que o gato andou a ser perseguido por cães na rua pode perceber as suas reacções a cães ou a qualquer coisa que lhe faça lembrar um cão. 

- tenha calma a escolher o gato que vai adoptar quando for à associação e mesmo que queira um gatinho bebé, não hesite em trazer um adulto se a personalidade deste lhe agradar mais. Os gatos adultos são mais estáveis e calmos do que os bebés, e por muito engraçados que estes sejam, os adultos dão sempre menos trabalho. nada garante que venham a durar mais ou menos do que um bebé, se estiverem numa casa e forem bem cuidados. Em primeiro lugar a sua longevidade já vem definida na família, através dos genes, e isso é impossível de saber num gato de uma associação de recolha de animais abandonados. Além disso os gatos podem durar até aos 20 anos se forem mantidos com uma dieta apropriada, mais do que com constantes idas ao veterinário e doses constantes de medicamentos.

 

Check up geral de saúde - coisas que convém verificar ou pedir ao veterinário para verificar quando recolher um animal abandonado ou de uma associação:

- Otites - cera escura dentro das orelhas; cabeça sempre de lado; tendência a coçar muito uma ou ambas as orelhas; nariz muito quente indicador de febre; líquido nas orelhas;

- Gengivites - gengivas inflamadas e inchadas junto aos dentes; cáries; dentes furados ou negros; placa amarela de tártaro na base dos dentes; mau hálito; salivarem em excesso; dificuldade em mastigar, comer com a cabeça inclinada para trincar as coisas de lado e vagarosamente;

- Testes à F.I.V. (Imunodeficiência Felina) e à F.E.L.V. (Leucemia Felina) - gatos nestas condições podem viver normalmente e muito tempo se forem tidos os devidos cuidados, mas convém saber quanto antes se o gato é portador.

- Níveis de creatinina - análise aos funcionamento dos rins.

- Mamilos inchados ou com quistos

- Vestígios de operações de esterilização

 

 

 

Ana Varela © 2001, 2004